Ceape²

Centro de Estudos Avançados em Proteção de Estruturas Estratégicas

O Brasil conta com cerca de 13.300 estruturas consideradas estratégicas, que respondem por 92% de seu Produto Interno Bruto nas áreas prioritárias de energia, telecomunicações, transportes, água e finanças, todas guardando interdependência entre si. 

 

Dentre essas áreas prioritárias, a de energia apresenta um maior impacto de influência nas demais, na medida em que a sua indisponibilidade afeta diretamente as finanças, o abastecimento de água, as redes de transporte e as comunicações, tornando-se fundamental, portanto, prover sua segurança. Neste contexto, a Usina Hidrelétrica de Itaipu Binacional possui comprovada relevância estratégica para o Brasil e o Paraguai ao atender suas demandas energéticas, respectivamente, em cerca de 17% e 80%. 

 

Para reforçar a segurança da infraestrutura da usina, a Itaipu e o Parque Tecnológico Itaipu criaram o Centro de Estudos Avançados em Proteção de Estruturas Estratégicas (Ceape²), cujo projeto encontra-se na fase de Consolidação.

 

Trata-se de projeto estratégico para seus parceiros, a Itaipu, o PTI e o Exército Brasileiro, com foco na segurança cibernética, que possibilitará realizar simulações em ambientes controlados e capacitar operadores da usina, dando suporte ao projeto de atualização tecnológica da Itaipu. 

 

Em agosto de 2013, a Itaipu, anfitriã do 1º Seminário sobre Proteção de Infraestruturas Críticas² (IECFOZ 2013), colocou-se na vanguarda, juntamente com o Exército Brasileiro e outras instituições, assinando um protocolo de intenções voltado para estudar a viabilidade de criação de um centro que viesse a abrigar estudos sobre segurança e que contemplasse um laboratório de eletrônica, comunicações e cibernética. 

 

Para dar respostas a tal desafio, a Itaipu e o Parque Tecnológico Itaipu, em 12 de fevereiro de 2015, criaram o Centro de Estudos Avançados em Proteção de Estruturas Estratégicas (Ceape²). 

 

Desde 06 de julho de 2018, nova parceria firmada entre a Itaipu, o Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército Brasileiro e o PTI, vem possibilitando avançar na consolidação do Ceape², por intermédio de variadas ações aderentes às etapas do projeto de atualização tecnológica pelo qual a usina de Itaipu está passando. 

 

Assinatura da parceria entre PTI, Itaipu e Exército Brasileiro 

Atualizar, capacitar e aperfeiçoar profissionais do PTI e da Itaipu por intermédio de treinamentos e cursos nas temáticas de interesse, tais como hacker ético, desenvolvimento seguro de software, segurança cibernética, entre outros, contempladas no Programa de Atualização, Capacitação e Treinamento do Ceape².

 

Curso de Segurança de rede

Conscientizar todos os chefes, gerentes, gestores e funcionários, brasileiros e paraguaios, da necessidade de se adotar condutas pessoais e boas práticas de segurança da informação, visando preservar informações particulares e as da sua empresa/fundação, para tal, passando a promover, anualmente, a Semana de Segurança da Informação - SeInforma, voltada para atender o Programa de Sensibilização em SI para Itaipu e PTI.

 

SeInforma/2018

Promover discussões do tema segurança, com ênfase a proteção cibernética, com outras infraestruturas críticas, de modo a compartilhar ideias e resultados, por intermédio de encontros temáticos, tais como, seminários, workshop, palestras. Destaca- se o IV Seminário Internacional de Defesa Cibernética realizado em 2015.

 

IV Seminário Internacional de Defesa Cibernética/2015

 

 

Operação do Laboratório de Segurança Eletrônica, de Comunicações e Cibernética (Lasec²) - Ambiente de simulação, construído com o apoio do Exército Brasileiro, voltado para a identificação de vulnerabilidades de Sistemas de Informação e em Sistemas de Automação Industrial (ICS/SCADA), em ambiente controlado, de modo que as atividades não interfiram com as redes de automação industrial já existentes.

 

Atividades no Lasec²

Implantação do Laboratório de Segurança Cibernética em Ambiente de Tecnologias de Informação e Automação aplicada em Sistemas elétricos (LaSC) - Ambiente de simulação, em sua fase inicial de desenvolvimento conjunto realizado por técnicos da Itaipu, do PTI e do Instituto Militar de Engenharia - IME, voltado para dispositivos físicos industriais que representam infraestruturas críticas na área de Sistemas Elétricos e de Potência e de Tecnologia de Automação, o que permitirá realizar estudos sobre a identificação da origem de sinais anômalos, a partir de medidas elétricas, a fim de classificá-los como sendo originados de faltas elétricas genuínas ou sinais espúrios originados de ataques cibernéticos.

 

Apresentação do LaSC no Comando do Exército