Empreendedores de Marechal Cândido Rondon são selecionados para a Incubadora Santos Dumont

Empreendedores de Marechal Cândido Rondon são selecionados para a Incubadora Santos Dumont

04/04/2017

Cinco grupos de empreendedores do município de Marechal Cândido Rondon deram um grande passo dentro da Incubadora Santos Dumont, do Parque Tecnológico Itaipu (PTI). Na última sexta-feira (31), sete propostas pré-incubadas foram submetidas a uma banca de investidores e especialistas de mercado durante o Demo Day, e as que receberam uma nota superior a sete seguirão para a próxima fase, em que serão formalizadas como empresas e incubadas.

 

Mais que um grande passo, foi na verdade um grande voo, já que, dentro do Programa da Incubadora, as ideias compõem a fase de “avião de papel”, de onde partem para uma evolução até se transformarem em foguetes, em que o céu não é o limite para os negócios formados. “Nosso propósito aqui é transformar ideias de pessoas comuns em negócios de pessoas extraordinárias que impactam o mundo”, destaca a gerente da Incubadora, Angela Cristina Mensch.

 

Angela comentou que a equipe da incubadora terminou a fase da pré-incubação com a sensação de “missão cumprida”. “Ficou visível a evolução de vocês (empreendedores) em todo esse processo. A questão logística de vir de Foz até aqui não foi fácil, mas olhando e vendo esse resultado, valeu muito a pena”.

 

Esse foi o primeiro processo de pré-incubação da ampliação da Incubadora em Marechal Cândido Rondon. Em janeiro deste ano, foram assinados os contratos de 15 propostas. Durante três meses, os empreendedores acompanharam workshops ministrados pela equipe da incubadora com temas como modelo de negócios, finanças, aspectos de prototipagem e pitch.

 

O diretor técnico do PTI, Claudio Issamy Osako, reforçou que a ampliação das atividades da Incubadora faz parte tanto da missão do Parque quanto da Itaipu Binacional, de promover o desenvolvimento territorial. “Nós virmos até aqui não é para fazer favor a ninguém. O propósito do PTI é este”, afirmou.

 

Projetos propõem soluções para questões regionais

 

Pés agitados, expressões de tensão e até grupos de oração refletiam todo o nervosismo dos empreendedores durante o Demo Day. Sete das 15 propostas que iniciaram o processo chegaram à fase do “dirigível” e foram apresentadas no evento. A maioria delas voltadas a problemas e características do município e da região.

 

É o caso, por exemplo, do EmbioFert Tree, um produto orgânico líquido para a nutrição de plantas e solo e a diminuição do uso excessivo de agrotóxicos. Patricia Schumacher, responsável técnica da empresa, afirmou que o processo de pré-incubação permitiu uma melhor estruturação do negócio, que foi idealizado há cerca de três anos.


Eduardo Leismann apresentou o projeto Incognita, uma solução para o problema de vermes na produção agrícola

 

Outro projeto pré-incubado foi o Selfie, uma solução voltada à gestão pública municipal com informações estratégicas, com dados como a produção na zona rural, e de comércios e prestadores de serviços da área urbana. A diretora comercial Adriana Bayer contou que o Selfie já está sendo usado em três municípios da região Oeste e que, durante a pré-incubação, três novos módulos, como o de endemias, foram desenvolvidos para o aplicativo.

 

Durante a faculdade, Eduardo Leismann e o colega Elio Conradi Junior questionaram se a técnica de eletrocutar o M. incognita, uma espécie de hematóide, que são vermes que atacam a produção, funcionaria. Eles engavetaram o projeto, até que souberam que a Incubadora Santos Dumont do PTI ampliaria as atividades para Marechal. “Começamos com uma ideia e, a cada workshop, íamos modificando para melhorar. Esperamos conseguir abrir a empresa e concluir a fase de testes, e construir nosso primeiro protótipo em curto período de tempo, para depois fabricar e vender e virar uma empresa gigantesca, que é o nosso sonho”, disse Eduardo.

 

E o dirigível dos três projetos decolou: a Embiofert ficou em primeiro lugar no Demoday; o Selfie, em segundo; e a Incognita em terceiro. Outras duas propostas também foram aprovadas e seguem para a incubação. Participaram da banca Rafaela Laurencini, da Magnidea; Osvaldo César Brotto, do Sebrae; Roberto Luchini Perez, do Innovation Office; e Ricardo Aquino Calizotti, do West Angels.

 

“É interessante ver o PTI incentivando essas inovações, porque muitas vezes o empresário tem uma ideia, mas ele não tem a ferramenta, o conhecimento, a técnica para fazê-la ser uma inovação de fato. Porque inovação é só quando chega no mercado e se tem resultados financeiros”, destacou Roberto. “Fiquei bem orgulhoso em ter participado”, complementou.

 


Banca avaliadora foi formada por investidores e especialistas de mercado

 

Apoio

 

Para a implementação da ampliação da Incubadora em Marechal, o PTI recebeu o apoio da Associação Comercial e Empresarial de Marechal Cândido Rondon (Acimacar), da Prefeitura de Marechal Cândido Rondon e da APL Iguassu-IT. “É uma satisfação receber a primeira extensão do PTI”, ressaltou Sérgio Marcucci, secretário de Indústria e Comércio do município. “Nos empenhamos ao máximo para poder fazer com que isso realmente seja um sucesso para a nossa cidade”.

 

“Percebemos que desde a fundação do PTI sempre teve empresa de Marechal Cândido Rondon incubados lá”, afirmou Paulo Copetti, presidente da Acimacar. “Talvez isso fez com que nós assumíssemos como uma bandeira a extensão do PTI para Marechal”.

 

A previsão é que em junho seja lançada uma nova chamada para a pré-incubação de propostas, em que as atividades acontecerão simultaneamente em Foz do Iguaçu e em Marechal Cândido Rondon.

 

Confira o vídeo do Demo Day: https://www.youtube.com/watch?v=4LoJp-jxhG0