Incubadora do PTI terá sua quarta unidade, em Londrina

Incubadora do PTI terá sua quarta unidade, em Londrina
18/12/2018

Londrina, no Norte do Paraná, ganha mais uma unidade da Incubadora do Parque Tecnológico Itaipu (PTI). É a quarta unidade do Estado, que deverá funcionar já no início de de 2019. No primeiro edital de incubação, serão selecionadas 45 ideias de empresas que poderão ser transformadas em novos negócios para a cidade, nas áreas de agroindústria, cidades inteligentes, saúde e educação.

 

O acordo de cooperação entre o PTI e a Prefeitura de Londrina foi assinado nessa segunda-feira (12), na sede da administração municipal. A unidade de Londrina será a primeira fora do Oeste do Paraná. Atualmente, a Incubadora tem sedes em Foz do Iguaçu (no PTI e na Uniamérica) e em Marechal Cândido Rondon.

 

O diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Marcos Stamm, participou da solenidade de assinatura e comentou o motivo de Londrina ter sido escolhida para sediar uma unidade da Incubadora. “A escolha por Londrina é muito natural, porque hoje a cidade é um polo reconhecido de Tecnologia da Informação”, afirmou. “A Incubadora vem a somar, potencializando os processos e gerando muito desenvolvimento para a região”, complementou.

 

A instalação da Incubadora com essa finalidade, segundo o diretor superintendente do PTI, Jorge Augusto Callado, vem ao encontro da missão do PTI de promover o desenvolvimento territorial sustentável, e faz parte ainda do calendário de comemoração dos 15 anos do Parque, completados em outubro deste ano.

 

O local de funcionamento da nova Incubadora ainda não está definido, mas o primeiro edital da unidade deve ser lançado no início de 2019. As 45 ideias de negócios selecionadas para participar da etapa de qualificação terão duração aproximada de três meses. Após essa fase, os empreendedores serão avaliados por uma banca de especialistas e serão selecionadas nove empresas para entrar no processo de incubação.

 

Conforme Jorge Callado, na unidade de Londrina a prioridade serão as startups de base tecnológica e, aquelas que não tiverem, será feito um “link” para que tenham.

 

“É um novo ciclo de desenvolvimento para a cidade, que gera emprego e renda. Não tenho dúvida que a Tecnologia de Informação vai ser o grande novo ciclo de desenvolvimento da economia de Londrina”, disse o prefeito da cidade, Marcelo Belinati.

 

Governança Municipal

 

Na solenidade de assinatura, o PTI também colocou à disposição da Prefeitura um software livre de governança municipal com diversas funções que podem ser adaptadas à realidade local, incluindo um módulo para o Portal de Transparência desenvolvido a pedido e referenciado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR)