Transformar conhecimentos e tecnologias em

 

soluções para o progresso da sociedade

Itaipu e PTI lançam iniciativa educacional Escola Internacional para Sustentabilidade

Itaipu e PTI lançam iniciativa educacional Escola Internacional para Sustentabilidade

15/04/2020

A Itaipu Binacional e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) lançaram oficialmente nesta quarta-feira (15), a Escola Internacional para Sustentabilidade (EIS), uma iniciativa educacional que visa atender a demanda de intercâmbio do conhecimento acumulado pela hidrelétrica durante seus mais de 40 anos de trajetória no desenvolvimento de ações socioambientais em seu território de influência. Para marcar o início das atividades da EIS, foram abertas as inscrições para o nível básico do Curso de Gestão para Sustentabilidade Territorial, uma das formações que serão ofertadas gratuitamente pelo projeto.

A capacitação profissional é resultado da sistematização de maneira didática dos conceitos, as experiências, os projetos e programas desenvolvidos pela hidrelétrica ao longo de sua história.

 

Segundo o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim silva e Luna, mesmo antes de existir uma legislação específica no País sobre o tema, a binacional já tinha um compromisso forte com as questões ambientais. “Nossas atividades nessa área já foram reconhecidas nacionalmente e internacionalmente”, destacou.

 

Silva e Luna frisou ainda que a Escola é uma “ferramenta importante para divulgação das boas práticas desenvolvidas pela Itaipu e para disseminação dos conteúdos da Agenda 2030”.

 

Signatária dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), Itaipu promove programas de gestão integrada de bacias hidrográficas, visando as boas práticas com os recursos hídricos, garantindo o desenvolvimento socioeconômico e a sustentabilidade do território.

 

A Itaipu Binacional possui um longo histório de ações na gestão integrada por bacais hidrográficas. Crédito: Alexandre Marchetti / Itaipu Binacional

 

Para o diretor de coordenação da Itaipu, general Luiz Felipe Carbonell, o objetivo é que os cases da usina inspirem outras instituições públicas e privadas no “planejamento de boas práticas e políticas públicas com foco no desenvolvimento sustentável e no alcance das metas previstas nos ODS”.

 

Dividido em três níveis: básico, intermediário e avançado, o curso é direcionado a agentes públicos, tomadores de decisão, estudantes, voluntários e cidadãos interessados em participar da construção da sustentabilidade em seu ambiente de atuação.

 

O Parque Tecnológico Itaipu foi responsável pela estruturação da capacitação, a partir da elaboração de metodologias, técnicas e recursos audiovisuais utilizados em processos de ensino-aprendizagem. Todos os conteúdos estarão disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem do PTI (AVA).

 

“Nossa intenção é que a sociedade e os profissionais se apropriem dessa ferramenta no planejamento das iniciativas que promovam o desenvolvimento sustentável das cidades”, enfatizou o general Eduardo Garrido, diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu.

 

 

 

Curso Gestão para Sustentabilidade Territorial

 

As inscrições para o nível básico do curso “Gestão para Sustentabilidade Territorial”, já podem ser realizadas. A formação é voltada para estudantes, professores universitários e do ensino básico, gestores públicos e privados, além de servidores públicos. Porém, qualquer pessoa com interesse na temática pode se cadastrar e participar, conforme a disponibilidade de vagas por turma. Ao todo, serão abertas 200 vagas nesta primeira etapa.

 

Ofertado no formato de autoaprendizado na modalidade de Ensino a Distância (EaD), os conteúdos do nível básico do curso estão disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) do PTI. A carga horária é de 40 horas e o cadastro deve ser feito no endereço: pti.org.br/eis.

 

A partir de maio, serão abertas novas turmas incluindo os idiomas inglês e espanhol.

 

A capacitação conta ainda com os níveis intermediário e avançado, no formato semipresencial – incluindo visitas a projetos desenvolvidos por Itaipu na região da Bacia do Paraná 3 (BP3). Para estes níveis, as inscrições poderão ser realizadas a partir de julho.