Nas alturas: PTI utiliza drones para monitoramento de projetos

Nas alturas: PTI utiliza drones para monitoramento de projetos

03/09/2019

Atento às tecnologias que surgem no mercado e que facilitam o desenvolvimento de atividades, o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) vem aderindo e implementando o uso de aeronaves não tripuladas, popularmente conhecidas como drones, em algumas de suas ações.

 

Para isso, os equipamentos são utilizados no monitoramento e acompanhamento de obras, que podem ser iniciativas do Parque, da Itaipu Binacional ou instituições parceiras.

 

De acordo com o gerente do Laboratório Vivo de Cidades Inteligentes, Miguel Diógenes Matrakas, entre as principais vantagens do uso de drones para captação de imagens está o alcance a locais de difícil acesso de forma segura para o profissional que está pilotando, além da otimização do uso de recursos, uma vez que outras alternativas como os satélites, por exemplo, demandam altos investimentos.

 

Entre os projetos beneficiados com a aplicação dessa nova tecnologia está a construção da segunda ponte entre Brasil e Paraguai, que está sendo construída sobre o Rio Paraná, entre Foz do Iguaçu (PR) e Presidente Franco, cidade paraguaia vizinha a Ciudad del Este, onde está localizada a Ponte da Amizade.

 

No empreendimento, o PTI apoia a Divisão de Apoio Operacional (ODRA.CD) da Itaipu realizando voos quinzenais para captação de imagens que são utilizadas na geração de modelagens 3D, que auxiliam as equipes técnicas na tomada de decisões em relação à obra.

 

Imagem captada por drone no local onde será construída a Ponte da Integração ligando Brasil e Paraguai

 

Além disso, está sendo realizado o acompanhamento da evolução da rota da Perimetral Leste, uma via de acesso direto entre a Avenida das Cataratas e a BR-277.

 

Já na Vila A, os drones do PTI registram através de fotos e vídeos, a transformação do antigo espaço da Cobal que dará lugar ao Mercado Municipal de Foz do Iguaçu.

 

Novo acesso ao PTI

 

Captar imagens de uma construção com cerca de 2,7 Km de trajeto não é tarefa fácil. Este é o caso das obras de implantação da nova entrada do PTI, que vai permitir o acesso diário de quase sete mil pessoas, de forma independente da Barreira de Controle de Itaipu.

 

Neste cenário, os drones apresentam a solução ideal para o levantamento de informações sobre o andamento das obras.

 

“Ao captar imagens no nível horizontal, nem sempre conseguimos visualizar a real evolução da obra. Já o acompanhamento com imagens aéreas, feitas a partir de drones, nos apresenta um panorama mais completo”, explicou o gerente de Infraestrutura e Obras do PTI, Rudi Eduardo Paetzold.

 

Novo acesso ao PTI está sendo contruído como alternativa de entrada independente da Barreira de Controle da Itaipu.

 

Todos os drones utilizados no PTI estão cadastrados na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e os técnicos possuem habilitação para pilotar os equipamentos.