Transformar conhecimentos e tecnologias em

 

soluções para o progresso da sociedade

Parque Tecnológico e startup incubada entregam solução para facilitar análise das unidades geradoras da Itaipu

Parque Tecnológico e startup incubada entregam solução para facilitar análise das unidades geradoras da Itaipu

21/02/2020

Os sinais de monitoramento das unidades geradoras da usina de Itaipu Binacional – como vibração, descargas parciais, pressão e temperatura - poderão ser acompanhados, em tempo real, a partir de uma solução desenvolvida pela startup AIS – Ambientes Virtuais, com orientação do Parque Tecnológico Itaipu (PTI). 

 

A solução permite a navegação virtual e tridimensional nos diversos equipamentos que compõem as unidades geradoras, resultando em um diagnóstico mais ágil e preciso, e contribuindo para a eficiência de produção da maior geradora de energia do mundo. 

 

No início de fevereiro, o Centro de Pesquisas em Energia Elétrica (Cepel) – infraestrutura de pesquisa do setor elétrico brasileiro -  atualizou o seu sistema de monitoramento e diagnóstico das 20 unidades geradoras com os modelos tridimensionais das máquinas e também com os mais de 400 sensores existentes.

 

Desenvolvido pela AIS, empresa incubada no PTI, com a coordenação do Centro de Estudos Avançados em Segurança de Barragens (Ceasb) do Parque Tecnológico, a interface homem-máquina tridimensional - incluída no sistema de monitoramento já presente em Itaipu - possibilita a visualização da posição exata dos sensores, a identificação de subsistemas afetados e a análise da interação entre os sinais monitorados nos diversos componentes das unidades geradoras. Essas informações, disponibilizadas aos engenheiros da Itaipu, auxiliam a avaliação dessas estruturas e o planejamento de atividades. 

 

O trabalho da AIS usou como ponto de partida o modelo tridimensional produzido anteriormente pelo Ceasb, que há 11 anos desenvolve soluções estratégicas para a usina na área de segurança de barragens. A definição das funcionalidades e do comportamento da interface 3D foi resultado do trabalho conjunto entre a empresa incubada, o Ceasb e o corpo técnico de Itaipu.

 

A integração ao sistema previamente existente em Itaipu contou com o importante apoio da equipe do Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel), instituição responsável pelo sistema de monitoramento em operação em Itaipu, o SOMA (Sistema Orientado ao Monitoramento de Ativos de Engenharia).

 

Para propiciar uma melhor experiência ao usuário, a interface disponibiliza várias funcionalidades de visualização, tornando a navegação e o foco nos componentes ou sensores de interesse muito mais ágil e permitindo, portanto, a visualização dos dados de monitoramento em tempo real e na exata localização onde o sensor encontra-se instalado nas máquinas reais.

 

Atualmente, o sistema está apto e configurado para receber diferentes tipos de sinais. Os sensores de temperatura já estão conectados e a conexão dos demais tipos está em processo de instalação.