Transformar conhecimentos e tecnologias em

 

soluções para o progresso da sociedade

Parque Tecnológico Itaipu vai financiar startups e projetos inovadores

Parque Tecnológico Itaipu vai financiar startups e projetos inovadores

29/06/2020

Criação de um sistema para rastreabilidade da produção de ração ensacada, melhorias dos processos sanitários do setor turístico, desenvolvimento de cabines para desinfecção de pessoas em locais de grande fluxo, desenvolvimento de ferramentas para otimização da comunicação e relacionamento com clientes, atualização tecnológica para vendas online, melhorias no processo de qualificação de grãos, entre outras. Estas são algumas das demandas cadastradas por indústrias e empresas parananenses de médio e grande porte no Programa Inovação Corporativa do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR). A lista completa está disponível no endereço: pti.org.br/acelerafoz, no menu "Oportunidades".

 

Em fevereiro deste ano, o PTI – em parceria com a Fundação Araucária – lançou a primeira versão do Edital que oferecia a oportunidade para os empreendimentos inscreverem suas problemáticas nas linhas de atuação: Agronegócio, Turismo e Cidades, Energia e Segurança de Infraestruturas Críticas. Com os adventos causados pela pandemia do novo coronavírus, foi acrescentada a temática “Medidas de combate aos efeitos econômicos da COVID-19” e prorrogado o prazo para inscrições, que encerrou no último dia 14.

 

Nesta nova etapa, lançada na última sexta-feira, 26, empreendedores e startups tem até o dia 07 de agosto para propor soluções inovadoras para essas demandas, através da implementação de produtos ou processos novos ou melhorados. Para participar, é preciso acessar o link radar.pti.org.br/inscricao.

 

A Incubadora do Parque Tecnológico vai selecionar 60 propostas, que receberão uma bolsa-auxílio para modelar soluções às demandas cadastradas pelas empresas, durante dois meses.

 

As soluções serão avaliadas pelas empresas demandantes e os oito projetos com maior pontuação entrarão para a incubação no PTI, onde terão acesso a toda estrutura da instituição, que inclui coworking, sala de prototipação e sala de criatividade e inovação da Incubadora, laboratórios, serviços e demais espaços do Parque.

 

Também receberão consultorias e mentorias, além de recursos para dar suporte ao desenvolvimento do produto, em um prazo de até 12 meses.

 

De acordo com o diretor de Negócios e Inovação do PTI, Rodrigo Regis de Almeida Galvão a iniciativa tem como objetivo “ampliar a competitividade nacional e internacional do setor produtivo paranaense, incentivar a cultura de inovação e empreendedorismo no Estado, além de buscar alternativas para os negócios severamente impactados pelo momento crítico atual”.

 

E foi justamente por conta desse período extraordinário, que as propostas de soluções cadastradas para as demandas da linha temática “Medidas de combate aos efeitos econômicos da COVID-19”, passarão por um processo diferenciado.

 

Nesta linha, startups já constituídas e com solução validada no mercado, poderão inscrever, até 12 de julho, suas propostas de projetos. Essas empresas serão direcionadas diretamente a uma banca avaliativa, para verificação do grau de maturidade da solução e o atendimento de demandas sensíveis no mercado. O cadastro deve ser feito no aqui: radar.pti.org.br/inscricao.

 

As cinco Startups melhores qualificadas receberão recursos (baseado no planejamento realizado) nos valores entre R$ 60.000,00 e R$ 100.000,00 para implementação da solução proposta e aceleração do negócio.

 

“Conhecer as dores das empresas demandantes torna mais fácil o caminho para a proposição de soluções assertivas com potencial de trazer grandes resultados econômicos para a Região Oeste do Estado”, explicou Rodrigo Regis.

 

Já Ramiro Wahrhaftig, presidente da Fundação Araucária, destacou a importância da parceria entre as instituições “para o desenvolvimento do excepcional Oeste do Paraná e da metrópole Trinacional; Do dinamismo de um dos ecossistemas mais importantes do Estado”.

 

Para Ramiro, entre os diferenciais da região que podem alavancar ainda mais o empreendedorismo local estão “os ativos e atores extremamente qualificados e detentores de grande capacidade mobilizadora da região, incluindo as universidades e os parques tecnológicos atuando de forma conjunta”.

 

Esta é mais uma das ações que integram o Programa Acelera Foz – uma iniciativa de retomada econômica que tem a coordenação estratégica do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Prefeitura de Foz, Sebrae, Programa Oeste em Desenvolvimento, Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (Acifi) e Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

Especial: