Transformar conhecimentos e tecnologias em

 

soluções para o progresso da sociedade

PTI-BR avalia cooperação técnico-científica para aeronaves utilizadas na agricultura

PTI-BR avalia cooperação técnico-científica para aeronaves utilizadas na agricultura

29/03/2021

O objetivo é implementar projetos para o desenvolvimento de aeronaves, utilizadas para pulverização na agricultura e outros possíveis usos.

 

 

O Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) firmou hoje, 29, um protocolo de intenções com a Fundação Araucária, IPE Aeronaves, Unila, Unioeste e IPETEC, durante o evento online de lançamento do NAPI – Aeronaves de Pequeno Porte.

 

Os Novos Arranjos de Pesquisa e Inovação (NAPIs) priorizam a inovação como grande elemento transformador do Estado na busca de avanços sociais, econômicos e humanos. Os NAPIs compõem uma solução sociotécnica fortemente apoiada em pressupostos da transformação digital e, também, da Gestão e Engenharia do Conhecimento.

 

O objetivo do NAPI – Aeronaves de Pequeno Porte, é implementar projetos de cooperação técnico-científica para o desenvolvimento de veículos aéreos não tripulados - VANT, utilizados para pulverização na agricultura e outros possíveis usos (segurança, combate à incêndios, transporte de carga etc).

 

O escopo desse projeto se baseia no modelo Nhapecan AgroVant, do IPETEC, um pulverizador aéreo autônomo, com potencial para ser o primeiro de grande porte do mundo.

 

Espera-se, com o resultado dessa parceria, o desenvolvimento de um modelo de aeronave que vai ajudar na redução de custos e no aumento da produtividade do agricultor.

 

De acordo com Rodrigo Régis, diretor de negócios e inovação do PTI, um dos próximos passos será descrever o plano de negócios, definindo os detalhes para a execução do projeto. “Estamos ainda em etapa preliminar de estudos, mas é um projeto com grande potencial. O Paraná poderá assumir a liderança mundial de um importante segmento da aviação”, explicou.

 

Para o diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, a parceria é de extrema importância para o desenvolvimento socioeconômico do Estado do Paraná. “Este projeto poderá assumir a liderança de um importante segmento da aviação e reposicionar o Paraná em uma nova cadeia produtiva, ampliar a competitividade, gerar riqueza e bem-estar para a população. O agronegócio é um dos principais setores da economia nacional, estamos com um olho no presente e outro no futuro para que as novas tecnologias proporcionem o trabalho mais técnico e com maior produtividade”, frisou general Garrido.

 

Evento Online

A atividade online contou com a participação do presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig; do diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da Fundação Araucária, Luiz Márcio Spinosa; do diretor do IPE Aeronaves, João Carlos Boscardin; do reitor da Unila, Gleisson Brito; do reitor da Unioeste, Alexandre Webber Unioeste; entre outros convidados.

/sites/default/files/Publica%C3%A7%C3%B5es/garrido.png