PTI e IAPAR assinam termo de cooperação para compartilhamento de informações técnicas agronômicas

PTI e IAPAR assinam termo de cooperação para compartilhamento de informações técnicas agronômicas
16/02/2019

O Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e o Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) oficializaram a parceria para compartilhamento de informações técnicas agronômicas. A assinatura do documento foi realizada na manhã desta sexta-feira (15), entre representantes do Parque e do Instituto. Com a parceria, o PTI passa a ter um dos maiores bancos de dados de estações agroclimáticas do Estado, com a integração do IAPAR e da Itaipu Binacional.

 

Em janeiro deste ano, o PTI inaugurou o Sistema de Monitoramento de Estações Meteorológicas (SMEC2), onde é possível acompanhar dados de estações em tempo real, como temperatura, umidade e chuva, projeto que foi desenvolvido pelo Parque por meio do Centro Latino-Americano de Tecnologias Abertas (Celtab).

 

O termo de cooperação assinado entre o PTI e o IAPAR firma essa parceria para a integração deste trabalho e para melhorar a qualidade na transmissão de dados no campo. Para o Diretor superintendente do PTI, Jorge Augusto Callado, essa é uma parceria estratégica para o Parque por ser mais uma ação conjunta com o governo do estado do Paraná, que “possibilitará melhores condições de produção para os produtores rurais com base na tecnologia e expertise do PTI”.

 

O Diretor de Pesquisa e Inovação do Instituto, Rafael Fuentes, diz que a possibilidade de cooperação propicia melhora deste serviço. “Tínhamos uma carência na oferta de informações com qualidade para todo Paraná, e assim podemos obter informações em tempo real, facilitando a tomada de decisões em relação à emergências climáticas, por exemplo, ou em relação ao ciclo natural das culturas, criações e preservação dos recursos naturais, como solo e água”.

 

De acordo com o engenheiro eletricista do PTI, Rolf Massao Satake, os dados históricos e a expertise do IAPAR será fundamental para que o projeto do PTI tenha maior quantidade de dados e maior informação útil para o produtor rural.

 

“A partir de agora integramos as estações do Instituto e com a Itaipu passamos a ter um dos maiores bancos de dados atualizados de estações agroclimáticas de todo Paraná, o que é importante para termos melhor entendimento climático para a agricultura da região, permitindo que o PTI forneça dados para otimização do trabalho no campo”.