PTI promove novo modelo de economia sustentável em parceria com instituição alemã

PTI promove novo modelo de economia sustentável em parceria com instituição alemã
22/02/2019

Um novo modelo de operação, baseado no reaproveitamento de recursos e a diminuição de resíduos, vem revolucionando a cadeia produtiva de países europeus: a chamada economia circular. Com o intuito de difundir a aplicabilidade dessa prática no Brasil, o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) sediou a 1ª edição do Seminário Técnico sobre Economia Circular. O evento, realizado nesta sexta-feira (22), foi promovido em parceria com o Instituto Aplicado de Gestão e Fluxo de Materiais (IfaS), da Alemanha.

 

A palestra reuniu cerca de 100 participantes, entre representantes de instituições regionais, colaboradores do PTI e comunidade em geral, e serviu como fechamento das atividades de uma semana de trabalho entre integrantes do Parque e do Instituto. 

 

Entre os dias 18 e 22 de fevereiro, representantes das duas instituições participaram de workshops, visitas técnicas e reuniões estratégicas, visando a aplicação do modelo em projetos já existentes no Parque. A ação deu continuidade à parceria entre o PTI e o IfaS, firmada em novembro de 2018.

 

Para o diretor superintendente do PTI, Jorge Augusto Callado Afonso, o evento representa mais uma etapa do processo de internacionalização do Parque com bons resultados à disposição da região Oeste do Paraná, a serem incrementados em termos de geração de emprego e reforço das cadeias produtivas. 

 

Em sua apresentação, o professor doutor Peter Heck, diretor executivo do IfaS, pontou alguns dos casos bem sucedidos aplicados pelo Instituto que podem servir de modelo para outras instituições, como o PTI. No Marrocos, por exemplo, o consumo de água e luz pôde ser diminuído por meio da troca de 40 mictórios por modelos capazes de operar sem consumir água, proporcionando um uso sustentável e econômico, livre da necessidade de manutenções periódicas.

 

Em sua visita ao Parque, Heck destacou o vasto potencial para a geração de energia sustentável no PTI, especialmente por meio do desenvolvimento de fontes solares, como a implantação de sistemas fotovoltaicos. O diretor do Instituto ressaltou ainda que o Brasil possui um solo fértil com mentes férteis capazes de aderir aos conceitos da economia circular. “Logo voltarei ao Brasil para acompanhar o crescimento da semente que plantamos aqui”, ele complementou.