Transformar conhecimentos e tecnologias em

 

soluções para o progresso da sociedade

Uso sustentável do tempo é tema de roda de conversa no PTI

Uso sustentável do tempo é tema de roda de conversa no PTI

09/03/2017

Na Semana da Mulher, gerentes da Itaipu Binacional, do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), empresárias e empreendedoras de Foz do Iguaçu foram convidadas para destinar algumas horas desta quinta-feira (09) para discutir sobre algo de muito valor para todas: o tempo. Elas participaram de uma Roda de Conversa organizada pela Rede de Mulheres Brasileiras Líderes Pela Sustentabilidade sobre novos padrões do uso sustentável do tempo.

 

As rodas de conversa fazem parte de uma pesquisa qualitativa que será desenvolvida pela Rede em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), chamada “Produzir, Consumir, Viver e Imaginar o Tempo”. Esse levantamento tem o objetivo de identificar agendas prioritárias e ações concretas que poderão orientar instituições, governos e movimentos dispostos a pensar novos padrões do uso do tempo. Cerca de 50 mulheres participaram da roda na manhã de quinta-feira, no Auditório Florestan Fernandes, do PTI.

 

Para a diretora financeira executiva da Itaipu Binacional, Margaret Goff, esse é um dilema dos dias atuais, sobremaneira para a mulher, que normalmente tem jornadas duplas e até triplas.

 

A presidente da Rede de Mulheres Brasileiras Líderes pela Sustentabilidade, Iêda Novais, explica que as rodas de conversa visam despertar a consciência das mulheres sobre como estão usando o tempo no trabalho e nas atividades familiares, privadas e públicas; para que consigam ter mais satisfação, qualidade de vida e contribuir para a sociedade.

 

“O que se observa hoje é que as pessoas estão estressadas ou deprimidas, porque estão sempre sem tempo para as atividades e acumulando insatisfação. E quando isso ocorre a produtividade cai no nível das empresas e para buscar soluções para um Brasil melhor”, afirma Iêda.

 

A missão da Rede, segundo a líder do projeto das Rodas de Conversa, é fazer e fomentar ações afirmativas para a promoção de equidade de gênero e sustentabilidade. “Daí vem a história do tempo, porque estamos olhando os novos padrões de uso sustentável do tempo, que é um bem finito, escasso, raro e, não aproveitado, não volta mais”, destaca.

 

Samyra avalia que as rodas têm tido uma boa aceitação por parte das mulheres e têm despertado uma reflexão sobre o uso do tempo. Ela considera que a contribuição do grupo que participou do evento no PTI foi muito importante para a pesquisa. “Eu acho que a Itaipu é um exemplo fantástico, porque reúne as duas coisas com muita clareza: esse movimento todo de valorização e empoderamento da mulher e as ações de sustentabilidade”.

 

As rodas de conversa, conta Samyra, vêm sendo feitas desde novembro de 2016. “A ideia é que a pesquisa seja apresentada na reunião plenária da Rede, que acontece em São Paulo no dia 31 de agosto”, diz.
 

A Rede

 

Uma das iniciativas da Conferência das Nações Unidades sobre Desenvolvimento Sustentável – Rio + 20, a Sustentabilidade no Feminino, lançou em novembro de 2011 os alicerces da Rede e uma linha programática para suas ações. O encontro atraiu cerca de 200 mulheres dos setores público e privado com o mesmo perfil: executivas exitosas em suas carreiras, tomadoras de decisão, com poder para transformar suas realidades e de outros. Assim foi formada a Rede de Mulheres Brasileiras Líderes pela Sustentabilidade.
 

(Com Itaipu Binacional)