Núcleo de Inteligência Territorial

Núcleo de Inteligência Territorial da Itaipu Binacional

É um espaço técnico-científico de colaboradores da Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu e instituições parceiras, organizado para garantir que os esforços e recursos dos projetos de pesquisa nas temáticas Território, Água, Clima e Biodiversidade compartilhem objetivos, metas, indicadores e resultados alinhados com os Objetivos Estratégicos da Itaipu, a segurança hídrica e o desenvolvimento regional sustentável.

 

A gestão do NIT.IB acontece de forma coordenada, colaborativa e centralizada para consolidar em uma só estrutura administrativa, equipe técnica, dados, conhecimentos e pesquisas.
 

O eixo tem como objetivo a utilização de geotecnologias para gerar, armazenar e gerenciar as informações geográficas sobre as regiões de interesse de Itaipu, de forma a promover o desenvolvimento regional sustentável.

 

A partir de uma série histórica de mais de 30 anos de dados de qualidade de água do reservatório de Itaipu e da Bacia Hidrográfica do Paraná 3, este eixo tem por objetivo construir e disponibilizar um sistema de informação (associados aos outros eixos) capaz de auxiliar a gestão das águas, visando a segurança hídrica do reservatório de Itaipu e da região.

 

Para isso, está sendo construído um banco de dados utilizando ferramentas avançadas de informática e de sensoriamento remoto. Também estão sendo conduzidos estudos para compreender os efeitos da dinâmica da cobertura do solo sobre a provisão de serviços ecossistêmicos associados aos recursos hídricos e reconstrução das condições paleoambientais do reservatório de Itaipu, a partir de “um olhar histórico” sobre a qualidade de água, de maneira a avaliar a influência das atividades conservacionistas praticadas na região. Todo este trabalho vem sendo realizado por meio de parcerias entre Itaipu, PTI, Universidade Federal do ABC (UFABC) e Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). 

 

 Projeto Hidrosfera

 

O projeto Hidrosfera estuda a interação entre os recursos hídricos subterrâneos e superficiais da Bacia Hidrográfica Paraná 3, onde está localizado o Sistema Aquífero Serra Geral. Para o entendimento dessas interações foi instalada uma rede de monitoramento de poços tubulares profundos da região. Nestes poços são avaliados aspectos quantitativos e qualitativos do aquífero.

 

No monitoramento da qualidade da água são avaliados os principais elementos químicos dissolvidos, aspectos referentes à interação água - rocha, a distribuição espacial das concentrações obtidas, assim como a presença de agrotóxicos. Com relação ao monitoramento quantitativo, foram instalados sensores de nível automático para a monitorar a amplitude da variação do nível da água em poços tubulares profundos. Por fim, com a integração destas informações será elaborado um modelo conceitual de circulação das águas subterrâneas na região. O trabalho vem sendo desenvolvido entre Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)


 

 

 Projeto Micropoluentes

 

O projeto micropoluentes é fruto de uma parceria bem-sucedida entre Itaipu, PTI e Universidade da Integração Latino-americana (Unila),  além de outras instituições acadêmicas colaboradoras, cujo objetivo é identificar, avaliar e quantificar os principais micropoluentes (agrotóxicos) na região transfronteiriça (Brasil - Paraguai) em matrizes de relevância ambiental (água, sedimento e solo), procurando compreender a dinâmica de disseminação destas substâncias no ambiente e sua relação com a biodiversidade.

Para isso, estão sendo realizados estudos em microbacias com diferentes condições de uso do solo e levantamento da biodiversidade dos diferentes níveis tróficos: algas, macroinvertebrados bentônicos (animais que vivem no fundo de rios) e peixes. Nas comunidades de peixes, além do conhecimento da riqueza e abundância de espécies, são conduzidas análises morfológicas e genéticas para avaliar os efeitos dos micropoluentes sobre este grupo de organismos. Na matriz solo, são realizados estudos da biodiversidade de grupos de fungos e bactérias capazes de degradar os herbicidas utilizados na região.

O eixo Clima tem como objetivo analisar eventos de tempo e clima, e os impactos destes na Bacia Incremental de Itaipu, fomentando a pesquisa e a inovação. O eixo também auxilia a Itaipu com tecnologias que contribuem para o monitoramento das chuvas e das vazões.

 

O objetivo principal desse eixo é realizar o levantamento da fauna e flora silvestre do Refúgio Biológico Bela Vista e gerar informações que sirvam como insumo no desenvolvimento de estratégias para o manejo e conservação da biodiversidade.